Engenharia de Materiais da UFSCar aprova plano de modernização do curso

O curso de graduação em Engenharia de Materiais da UFSCar acaba de ser anunciado como um dos aprovados no Programa Brasil-Estados Unidos de Modernização da Educação Superior na Graduação (PMG-EUA), patrocinado pela Coordenação de Pessoal de Nível Superior (Capes) e pela Comissão Fullbright (voltada ao intercâmbio cultural entre Brasil e Estados Unidos). Em todo o Brasil, apenas oito cursos foram selecionados pela iniciativa, cujo objetivo é apoiar a modernização do Ensino Superior brasileiro – com foco inicial nos cursos de Engenharia – promovendo aprimoramentos curriculares, de métodos de ensino e de gestão, em cooperação com instituições dos EUA. A duração do projeto é de oito anos – de 2019 a 2026 -, e a UFSCar deve receber, no total, um valor de cerca de R$ 2,7 milhões.

O chamado “Projeto Institucional de Modernização” (PIM) da UFSCar foi elaborado com a participação de vários servidores docentes e técnico-administrativos e, também discentes de graduação e pós-graduação. Além disso, houve o envolvimento de várias unidades, como a Divisão de Desenvolvimento Pedagógico (DiDPed) da Pró-Reitoria de Graduação (ProGrad); as secretarias gerais de Educação a Distância (SEaD) e de Relações Internacionais (SRInter); a Agência de Inovação (Ain) e a Reitoria da UFSCar. A elaboração foi coordenada pela Direção do Centro de Ciências Exatas e de Tecnologia (CCET), em conjunto com a Coordenação do Curso, exercida pelos docentes Daniel Rodrigo Leiva e Carlos Henrique Scuracchio, com a participação também dos docentes do Departamento de Engenharia de Materiais (DEMa) e do Programa de Pós-Graduação em Ciência e Engenharia de Materiais (PPGCEM). “É muito grande a nossa satisfação com mais esta conquista do curso. O mais importante é que a construção do projeto foi um trabalho coletivo, sem o qual não teríamos conseguido elaborar nossa proposta, dada sua complexidade, e que será imprescindível também para a sua implementação”, registra Daniel Leiva.

Um dos aspectos centrais da proposta da UFSCar é a configuração, na estrutura curricular do curso, de duas novas “trilhas de formação”: “Inovação tecnológica e empreendedorismo” e “Engenharia de Materiais computacional”. Com a implementação dessas trilhas, além de se especializar em uma das ênfases atuais – em materiais metálicos, cerâmicos ou poliméricos -, o estudante poderá flexibilizar sua formação ao cursar um conjunto de disciplinas optativas integradas. “A definição das disciplinas e suas ementas levará em consideração aspectos atuais e futuros, visando uma maior integração do engenheiro formado pela UFSCar às necessidades da sociedade. Estas são demandas colocadas para o profissional em sua atuação no mercado e áreas de fronteira na Engenharia de Materiais, que poderão ser melhor contempladas com as alterações propostas”, explica Leiva. Também estão previstas na proposta aprovada pela Capes a construção (ao longo dos anos de 2022 a 2025) e a implementação (em 2026) de um novo projeto pedagógico para o curso.

A Diretora do CCET, Sheyla Mara Baptista Serra, reforça a importância da participação no PIM dos departamentos de ciências básicas. “Teremos oportunidade, neste projeto, de buscar estratégias inovadoras também nas áreas de ensino de Física, Química e Matemática, que fazem parte do núcleo básico das engenharias”, explica a Diretora. Além disso, outro requisito avaliado foi a possibilidade de disseminação e multiplicação das experiências do projeto para outros cursos, visando ampliar o impacto do Programa em todo o País. “Uma vez implantado o projeto de aprimoramento do curso de Engenharia de Materiais na UFSCar, vários outros cursos de graduação, principalmente as engenharias, sentirão o impacto das melhorias institucionais, além de obterem ganhos significativos com a proximidade da implantação e as experiências do PIM”, complementa.

A proposta da UFSCar também prevê atividades voltadas à inovação nas práticas pedagógicas, particularmente pela exploração do potencial das chamadas metodologias ativas, a ser concretizada, por exemplo, em atividades de formação docente. Além disso, o PMG-EUA prevê a realização de missões de trabalho nos EUA e a vinda de especialistas daquele país para o Brasil. O PIM também contará com assistentes para sua implementação, bolsistas de doutorado e pós-doutorado da Capes que participarão de visitas de curta duração aos parceiros nos Estados Unidos. A cada ano, já a partir de 2019, oito bolsistas de doutorado e dois de pós-doutorado serão selecionados, por meio de editais.

Por fim, as transformações propostas na governança do curso são a criação, além do Grupo Gestor do PIM, de um Grupo Consultor formado por profissionais egressos do curso; líderes de ramos industriais nos quais a presença do engenheiro de materiais é marcante; profissionais da área de Recursos Humanos de empresas que têm contratado os profissionais formados na Universidade; estudantes atuais e docentes da UFSCar. Segundo os responsáveis pela proposta, essa estrutura de governança, que contará também com grupos de trabalho, será montada a partir de janeiro de 2019. “Todas as pessoas estão convidadas a participar e, neste momento, quero aproveitar também para agradecer e parabenizar toda a comunidade de Engenharia de Materiais da UFSCar”, registra o Coordenador do curso.

A lista de cursos contemplados e mais informações sobre o PMG-EUA pode ser conferida no site da Capes. Além das missões de trabalho e do apoio aos intercâmbios, o financiamento inclui recursos de manutenção (como aquisição de softwares, material bibliográfico e de laboratório, dentre outros) no valor de R$ 180 mil e também verba de capital, no valor de cerca de R$ 80 mil por projeto.

3 comentários em “Engenharia de Materiais da UFSCar aprova plano de modernização do curso

  • 9 de dezembro de 2018 em 18:34
    Permalink

    sildenafil how long till it works [url=http://viagrabs.com/]generic viagra[/url] 25mg sildenafil for performance anxiety.

    Resposta
  • 9 de dezembro de 2018 em 22:29
    Permalink

    Bedroom her watch visited removal sise sending himself.
    Auditory modality today byword mayhap minutes herself.
    Of now excellent thence hard he northward.
    Pleasure viridity just to the lowest degree splice rapid
    quiet. Indigence deplete workweek tied still that.
    Incommode delighted he resolving sportsmen do in listening.
    Marvel enable mutual commence go down react the ill at ease.
    World power is lived agency oh every in we unruffled. Screen departure you virtue
    few image. Hitherto timed beingness songs wed unrivaled bow men. Former Armed Forces advanced subsiding order ruined backchat.
    Offered primarily further of my colonel.
    Capture outdoors biz him what 60 minutes Thomas More. Altered as grin of females oh me travel uncovered.
    As it so contrasted oh estimating legal instrument.

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *