Firefox reforça proteção contra rastreamento on-line: saiba configurar o navegador

O navegador de internet Firefox agora vem configurado de fábrica para bloquear o rastreamento on-line, segundo um anúncio da desenvolvedora Mozilla. Em parceria com a Disconnect, o Firefox agora bloqueia os chamados “cookies” de endereços associados a empresas que rastreiam navegação, em geral para fins publicitários.

Embora a função venha ativada por padrão em novas instalações do Firefox, quem já possui o navegador instalado só receberá a novidade dentro de alguns meses — não foi especificado quando. No entanto, também é possível modificar a configuração do navegador para aproveitar o recurso desde já:

  1. Clique no menu de “três barras” no canto superior direito;
  2. Selecione o item “Bloqueio de conteúdo”;
  3. Marque a opção “Personalizado”;
  4. Ative o bloqueio de Rastreadores, Cookies (escolha “Rastreadores de terceiros”), Criptomineradores e Fingerprinters
Configurando o bloqueio de rastreadores no Firefox. — Foto: Reprodução

Configurando o bloqueio de rastreadores no Firefox. — Foto: Reprodução

Quem não conhece o Firefox pode baixar o navegador no site da Mozilla.

O que são rastreadores

O rastreamento na internet identifica o seu navegador a cada site acessado, permitindo que empresas de publicidade e alguns prestadores de serviço montem “perfis” de navegação a partir das páginas que você visita. Essa informação é utilizada para estimar seu gênero, idade e interesses, em geral para fins publicitários.

A prática de rastreamento é normal e aumenta a eficiência da publicidade na internet — praticamente todos os sites sustentados por publicidade fazem uso dessa tecnologia.

No entanto, alguns mecanismos mais invasivos de rastreamento conseguem inclusive obter outras informações, como as redes sociais que você usa ou seu endereço de e-mail. Para piorar, não há maneira fácil e simples de bloquear esse rastreamento: embora algumas entidades do mercado publicitário tenham criado iniciativas para dar escolha aos usuários, nem todo mundo respeita essas decisões.

Propostas legislativas, como a GDPR da Europa, também não tiveram resultado, já que usuários simplesmente “concordam” com o uso de cookies em todos os sites. A legislação não obriga, por exemplo, que o usuário possa escolher bloquear apenas o rastreamento e manter as demais funções do site.

De fato, há situações que esses rastreadores estão vinculados a recursos dos próprios sites. Isso significa que bloquear os rastreadores pode prejudicar o funcionamento dessas páginas.

O que o Firefox bloqueia

Rastreadores: Essa opção bloqueia diversos tipos de conteúdo, incluindo scripts (pequenos códigos) capazes de extrair dados de navegação.

Cookies de terceiros: Os cookies são dados armazenados pelo navegador a pedido dos sites na internet. Um tipo de cookie comum e benigno é o cookie de login, que armazena um número de autorização para que o site “lembre” que você já fez login. Cookies de rastreamento armazenam números identificadores que anúncios publicitários podem ler para associar cliques e visitas a um mesmo internauta. O Firefox é capaz de bloquear especificamente os cookies associados ao rastreamento on-line.

Criptomineradores: São códigos que rodam no navegador para minerar criptomoedas. Eles consomem recursos do sistema, diminuindo o desempenho em desktops e a duração de bateria em notebooks.

Fingerprinters (“identificação digital”): Quando não é possível rastrear um navegador web por meio de cookies, redes de publicidade recorrem a técnicas avançadas que identificam um mesmo usuário a partir de alguma informação única. Por exemplo, um site pode usar um código que retorna valores diferentes dependendo do hardware da máquina para tentar identificar a navegação de um mesmo computador. Marcando essa opção, o Firefox tenta impedir esse tipo de código de funcionar.

Facebook Container: A Mozilla oferece uma extensão opcional com a finalidade específica de bloquear o rastreamento do Facebook.

Escudo fica visível na barra de endereço quando algum conteúdo é bloqueado, e usuário pode conferir os detalhes do bloqueio — Foto: Reprodução

Escudo fica visível na barra de endereço quando algum conteúdo é bloqueado, e usuário pode conferir os detalhes do bloqueio — Foto: Reprodução

Outras empresas

O Google anunciou que o navegador Chrome também deve receber novas proteções contra rastreamento e identificação digital. No entanto, o recurso ainda não está pronto.

Na semana passada, a Apple modificou uma regra para desenvolvedores de aplicativos do iOS, o sistema usado em celulares iPhone e tablets iPad. Conforme a nova regra da Apple, aplicativos voltados para o público infantil serão proibidos de usar ferramentas analíticas (rastreamento) e anúncios publicitários de terceiros.

101 comentários em “Firefox reforça proteção contra rastreamento on-line: saiba configurar o navegador

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *