UFSCar atua em projeto de telecomunicação e provedores em nuvem

Um projeto de pesquisa envolvendo a UFSCar e mais dez instituições nacionais e da União Europeia desenvolveu um sistema, na área de tecnologias de telecomunicação e de provedores de serviços em nuvem, para aprimorar a prestação de serviços. No novo sistema, que consegue aliar diferentes domínios administrativos e tecnológicos, são criadas slices (do Inglês, fatias) que agrupam recursos físicos ou virtuais para atender demandas específicas de cada cliente. O foco é superar as limitações atuais da infraestrutura de computação em nuvem para responder às demandas de novos serviços que surgem com a tecnologia 5G.

O professor Fábio Luciano Verdi, do Departamento de Computação (DComp-So) do Campus Sorocaba da UFSCar, que coordenou o projeto Novel Enablers for Cloud Slicing (NECOS) na Universidade, explica que uma slice pode ser dedicada a serviços que requerem baixa latência (atraso no envio de dados), tais como os exigidos na área da Saúde ou para aqueles relacionados à Internet das Coisas (IoT). “Outro caso de uso está relacionado ao 5G – quinta geração de serviço de Internet móvel – e à realidade aumentada, permitindo interações remotas que tipicamente requerem, além de baixa latência, alta disponibilidade de banda de rede, isto é, com alta capacidade de transmissão de dados”, ilustra o docente. Dessa forma, a partir do NECOS, foi desenvolvida uma plataforma capaz de criar slices, implantar serviços, bem como gerenciar e monitorar essa infraestrutura de uma maneira conjunta e orquestrada.

“Além disso, essa plataforma faz uso de técnicas de aprendizagem de máquina para detectar de forma antecipada e preventiva potenciais problemas que possam afetar os serviços executados na slice. O sistema é capaz de receber requisições de clientes para que a slice seja criada e gerenciada totalmente pelo NECOS, e permitindo que o cliente defina políticas em relação aos seus serviços”, detalha Verdi. Também no âmbito do NECOS, foi desenvolvido o Marketplace, um sistema para buscar por recursos nos provedores. “Tais recursos serão usados para compor a slice e atender as demandas dos clientes”, completa o pesquisador.

Parceria
O NECOS foi desenvolvido de novembro de 2017 a outubro deste ano, por um consórcio formado por 11 instituições brasileiras e europeias: UFSCar; Universidade Estadual de Campinas (Unicamp); as universidades federais de Goiás (UFG), Pará (UFPA), Uberlândia (UFU), Rio Grande do Norte (UFRN); Centro de Pesquisa e Desenvolvimento em Telecomunicações (CPqD); Telefonica; University of Macedonia, na Grécia; University College London, na Inglaterra; e Universitat Politecnica de Catalunha (UPC), na Espanha.

De acordo com Verdi, a UFSCar coordenou a implementação do sistema como um todo, integrando os diferentes componentes da arquitetura que foram definidos em conjunto. “A União Europeia colaborou em todas as fases, desde a definição da arquitetura até a implementação do sistema e também foi decisiva na coordenação geral, tendo em vista que tal projeto segue formato europeu”, complementa ele. Pelo lado brasileiro, o projeto contou com financiamento da Rede Nacional de Ensino e Pesquisa (RNP), no valor de R$ 4 milhões; do lado europeu, o financiador foi a própria União Europeia.

Os resultados do projeto já foram apresentados em diversas conferências nacionais e internacionais e, mais recentemente, no Futurecom, o maior evento de transformação digital da América Latina, realizado de 19 a 22 de outubro, em São Paulo. A programação combinou debates e demonstrações sobre tecnologias disruptivas (inovadoras) e hiperconectividade, reunindo as principais autoridades e executivos do setor e envolvendo compradores, fornecedores, empreendedores e formadores de opinião para discutir, se relacionar e apresentar soluções, inovações, conhecimento e produtos de tecnologia e telecomunicações.

Mais informações sobre o NECOS estão no site www.h2020-necos.eu.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *